Porque preciso ter um SAT?

Porque eu preciso ter um Sat no meu estabelecimento?

As vezes nos perguntam o por que é preciso ter um equipamento Sat na sua loja, restaurante e comercio, mas esta é uma resposta mais simples do que realmente parece.  Essa obrigatoriedade vem por conta da emissão de cupom fiscal, e da nota fiscal paulista, exigida pelo governo.

O estado de São Paulo é um dos únicos que aderiram a esse tipo de equipamento, com ele é preciso possuir uma impressora não fiscal com tecnologia que imprima o código QRCode, as lançadas de 2015 para cá já possuem, e internet no estabelecimento ligado a ele.

É pela internet que o equipamento se comunica com a SEFAZ e aprova ou reprova a emissão do cupom, é preciso estar atento porque em caso de não comunicação do equipamento com a SEFAZ, em 10 dias há o bloqueio do equipamento, impossibilitando qualquer emissão de cupom.

Mas porque eu preciso ter dois equipamentos mesmo tendo um caixa?

Por ser um equipamento com validade fiscal, e que tem a possibilidade de haver alguma falha seja eletrônica ou defeito de fábrica, é preciso fazer a substituição por um novo na hora, ou seja, seu segundo SAT é considerado como um BACKUP, que mesmo sem uso toda loja deve possuir.

O governo já tem isso como legislação vigente por tanto, caso você não tenha você, e tiver alguma fiscalização, poderá ser atuado.

Qual é a diferença entre Impressora Fiscal e o SAT?

Os dois equipamentos possuem vantagens e desvantagens.

A impressora fiscal foi proibida a comercialização em 2015, sendo descontinuada e substituída pelo Sat, mas ela era um equipamento que poderia ser consertada, e algumas marcas tinha memória fiscal de até 10 anos, o que possibilitava você ter o equipamento durante um longo tempo, porém ela não tinha comunicação automática com a SEFAZ, e para enviar os arquivos da nota paulista era preciso gerar os arquivos no final do mês enviar ao contador e ele enviar a SEFAZ.

Já o Sat ele tem comunicação automática e imediata com a SEFAZ, o que torna o envio das notas fiscais paulistas automáticos também sem necessidade de intervenção ou envio do contador, mas ele é um equipamento que não pode ser aberto e nem violado, o que impossibilita totalmente seu conserto, quando há quebra, bloqueio ou outros danos ao equipamento, é necessário a troca por um novo, se tiver na garantia do fabricante, ele faz essa troca, caso contrário é necessário adquirir um novo.

OBS: É importante saber que a legislação sobre o fim da impressora fiscal, informa que ela tem validade de 5 anos a partir da data da sua lacração inicial. Ou seja, se você comprou a impressora em 2015, você pode usar até 2020, se atente as datas para não ficar irregular, o que conta é a data que está no atestado de lacração inicial

Mayara Lacerda

Coach pelo IBC e formada em administração de empresas em 2012, trabalho a 10 anos com a WBA na área de automação comercial e gerenciamento de negócios, tenho como objetivo compartilhar conhecimentos para amigos e clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *